Contradições do Anverso Versus o Reverso no Verso e na Versão.

Os opostos se atraem!
Então diferente eu quero ser,
Sentir menos eu vou querer,
Mas não quero uma vida vazia.

Os contrários nos seduzem!
Ultimamente estou confuso,
Mas, afirmo: sou inocente!
Mas confesso que estou sem rumo.
E tenho sempre o aviso de urgente.

Diferença encontrada, igualdade procurada!
Consegui arrumar a casa
Mas onde está a porta?
Não vejo também um externo muro
Nem secreto centro.

Alguma coisa certa está errada,
Esses dias você está desorientada,
Mas, afirma: vivo sem pecado!
Mas confessa ser dissimulada,
E tem sempre um desejo desesperado.

Tudo que passou ainda virá!
Não vale guardar tantas mágoas,
Especialmente da febre que nos queimará.
Tenho febre e frio todo dia,
O baço ainda esta inchado,
Mas vou continuar vivendo.

A carta e a fotografia
Que me enviou valem um poema
Que ficou com sua efígie gravada
No bron de doze e dez sílabas
E rimou nos versos planos
Do anverso versus o reverso.

Valeu a Pena! Especialmente a febre.
Hoje me apego no acaso,
Tenho um futuro declarado.
Olhe pro meu rosto, pálido,
Escuro como um dia ensolarado.

Tenho viajado em outras dimensões,
Sou partícula de átomos dispersos.
No peito levo um universo
De infinda beleza e projeção.

Você acha que nós chegamos perto?
Hoje você tem um mundo desencontrado,
Toda sua perspectiva é cheia de muita febre,
Você me olha com o rosto desfigurado,
Mas, brilhante e claro.

Isto foi demais pra mim!
Toda esta efeméride variada
São emblemas da lua
De meia-calça de seu anverso.
Marcas de um trânsito inconseqüente.

Sou temperança que agita,
Tu és a explosão que acalma.
Era pra ser esse nosso final feliz!
Mas as pessoas tinham outra cara,
E no céu havia nove luas.

Sou um ser dotado de sentimentos
E emoções.
Perco-me tantas vezes de mim,
E me sustento somente por uma linha,
Uma débil linha que tem pressa
Na ponta pedaços de marfim,
Que exalam brancura por entre
O anverso dos ossos.

Os opostos se atraem!
Quero ser um beija flor na primavera
Que vê você, rosa vermelha aveludada,
Vou me encher do néctar do seu amor
E me apaixonar, pois sou beija flor!

Os contrários nos seduzem!
Sou igualmente diferente de você.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Propostas de Exercícios do livro "O Cortiço".

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Filosofia da Educação. São Paulo: Moderna, 1996. pp. 14-76. (Fichamento e Resenha)

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. IN: Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico. Campinas, SP: Papirus, 1995. (Fichamento e Resenha)