Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2011

Coração Amalocado nas Incertezas do Existir

Imagem
Acaso poderei, eu, controlar
Esse meu desejo que se torna insano,
Na ânsia de satisfazer minha paixão?
Sei que no final eu não passaria
Apenas de mais um nos seus joguetes de amor,
No seu descomprometimento com a paixão.

Não querendo um coração partido,
Triturado, estraçalhado pelo fogo consumidor
Do seu desejo, afasto-me.
Mas sei que fiquei com a melhor parte,
Pois me restou o sonho,
E esse se torna fonte de inspiração
De um coração que aprendeu acima de tudo
A te amar sem te ter.

Não me julgue! Sou Poeta!
E o Poeta, ontem, tinha a solução
Para as incertezas do download e do vinil,
Mas hoje não tem a certeza do seu existir
E busca a companhia de guitarristas
Emblemáticos de três gerações diferentes.

Me recluso em minha oca
Feita de palhas de palmeiras e ramos de assa-peixes,
Na tentativa de buscar camuflagem para meu existir.
Espero que misturado a paisagem
Eu consiga ocultar minha decepção
Com o que me torno a cada segundo,
Um ser vazio, com alma sonhadora
E pronta para alçar vô…

Encontro prazeroso

Imagem
É verão e um pouco de poesia
Só pode fazer bem. Uma conversa longa,
Seguida de interação nos encheu de estesia.
Tantos detalhes para colocar em dia:
Por onde anda? O que está fazendo?
A ação foi conjunta. Nossa reorganização
De nada, logo se completaria.

Intensos prazeres reais foi o que sentimos.
Ali, juntos, as palavras e os tempos poemas
Abriram-se diante de nós com todo esplendor,
E em paz nos sentimos livres, em êxtase,
E sentimos prazer sem culpa.

Pela nossa conversa nos interagimos,
E nos sentimos muito bem.
O texto que trouxemos foi apenas
Para iniciarmos nossa conversa
Porque dentro do abrigo de nossas idealidades,
Enquanto você fecha às portas,
Salpicam gotas puras de sinestesia.

Nós nos sentimos rodeados
Numa atmosfera de paixão.
E nossos corpos como que por instinto
Já conheciam bem essa linguagem perfeita
Que nos trouxe prazer total
Obtido pelo contato prazeroso e nada candonga.

Apetece-me comungar com seus risos e suas alegrias,
Nas horas mais inusitadas com as quais …

A Arte de Inventar o Passado e o Testemunho da Memória

Imagem
A Arte de Inventar o Passado e o Testemunho da Memória


O cidadão para poder se situar no presente, poder exercer seu papel como agente político, social e cultural, necessita conhecer o seu passado, estabelecendo com ele uma relação mediada pela crítica. Este papel é destinado socialmente ao historiador, é para isso e por isso que nossa profissão existe. O direito à memória, o direito a uma relação problematizadora com o passado é que faz do historiador um profissional indispensável à sociedade contemporânea e que exige que sua profissão seja reconhecida, institucionalizada e tratada com o devido reconhecimento legal e social.

Em nossa época perdura o embate entre História e Literatura. Os historiadores entendem como sendo seu dever a narrativa do passado. Para tanto, precisam se utilizar do gênero literário para assim poderem fazê-lo. Neste ponto enfrentam a dura critica dos cronistas que dizem que os historiadores não sabem fazer História. Em contra partida os historiadores replicam …

Sou Poeta do Dia, do Sol!

Imagem
Sou do Sol! Sou Poeta do Dia!
Eu canto a minha aldeia
Buscando a Luz do Sol, generosa!
Que se infiltra em inúmeros cantos,
Fazendo brilhar a inspiração.

Faço-me Poeta que sofre sonhando
Nas entrelinhas de um poema,
Amando o cálamo que não cala.
Chega-me a inspiração ao lembrar-me de você,
Então um poema traz o tema.

Pensei numa poesia que tivesse alma,
E Poeta me fiz de pensamento,
Nesse entrelaço do calor da emoção
Que flui da luz do Sol, o intenso colorista.

Cresci Poeta! Fostes a inspiração de meus poemas,
Deste-me sonhos, incentivos e teus afagos.
Mas casou-se com o Sol, e nem me olhas mais.
E eu me acho aqui onde não tenho nada,
Mastigo as horas do dia, à noite me consome.

Sou apenas um flash de inspiração,
Um motorista na contramão.
Busco minha inspiração no calor da Luz.
O que me enleva e sustenta
É a arrebatadora loucura do brilho do seu olhar.

Meus poemas são pássaros
Que chegam não se sabe de onde
E pousam no livro do meu pensar.
Todo dia o milagre se repete,
O Sol me ilumi…

O doce amargo do seu amor

Imagem
Querida, hoje quero te escrever
Algo despretensioso e doce
Como são as coisas vindas de ti.
E na doce loucura do desejo
Digo que foste o meu mundo
E pra sempre o será.

Sussurrei o seu nome ao vento
Para poder me ouvir,
E recordo a alegria sem fim
Que sinto quando você me abraça,
E o calor imenso quando você me beija.

Agora sinto o doce sabor amargo
De te amar.
Só em teus lábios,
Eu encontro meus gemidos.
Seus seios contornados pela blusa,
Fazem-me sinal da curva do seu corpo ondulado,
Esta fantasia me encanta e de verdade
Desestrutura-me.

A noite passada acordei com o gosto
Amargo da perda na boca,
Era só um sonho.
Mas depois desta noite a boca
Só tem sentido o gosto amargo
Das frustrações.

Me acorde! Diga-me que o pior passou!
Me acorde para a vida começar
Dentro da vida. Para ouvir a voz doce
Que nunca se calou. Para sentir
O prazer contínuo, do Sim, do Quero.
Para ficar sem fala diante de teu sorriso.

Desestruturo-me com seu jeito seguro de agir,
Mas a cada lembrança sua
Min…