sábado, 3 de setembro de 2011

Lunático

Quando os Astronautas chegaram à lua
Que surpresa eles tiveram,
Eu já estava lá!

Corto os céus azuis todas as manhãs,
Vou em direção ao sempre-norte.
Quero alcançar a alvorada
Que viceja pela carência do azul.

O vento da madrugada se torna
Companhia agradável pra quem
Segue sem destino, feito eu,
Que me torno o ponto de começo
Para um final que não reconheço.

Passo a vida assim
Visitando uma galáxia após outra,
Viajando, ora na cauda de um cometa,
Ora deslizando por uma nebulosa
Envolvente com seu colorido uniforme.

Eu já estava na lua
Quando os astronautas chegaram,
Imagine a surpresa que tiveram!

A aurora boreal me fascina
Causa em mim sensações
Que não posso explicar.

Vou voltar pra lua!
Quero de lá admirar todo azul
Que eu puder ver.
Quando você estiver passando lá,
Pare pra me visitar,
Estarei te esperando.

Por: Silvon Alves Guimarães
http://www.silvonguimaraes.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu! Sua presença é Bem Vinda!

VIGIAR E PUNIR. MICHEL FOUCAULT. RESENHA

Michel Foucault Vigiar e punir – Nascimento da prisão FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir : nascimento da prisão; tradução Raquel Ramalh...