Vestibular 2012 UFG – A Manutenção de um Sonho

Aconteceu no dia 13 de novembro de 2011, no horário de 13h00min às 18h10min, a primeira fase do vestibular da Universidade Federal de Goiás. Todo ano este acontecimento movimenta milhares de pessoas, algumas buscando sonhos, outras tentando ajudar na realização destes sonhos. Neste ano foram cerca de trinta e sete mil candidatos que se inscreveram para tentarem uma vaga neste tão concorrido instituto de ensino.

Na cidade de Jataí foram realizadas provas em seis locais diferentes. Eu estive presente no prédio do Cesut, Centro de Ensino Superior de Jataí, onde já tive a oportunidade de ajudar no ano anterior, 2010. Para o sucesso do vestibular, a UFG conta sempre com a colaboração, na sua maioria, de pessoas que compõem a família UFG, ou seja, alunos de graduação, da especialização, do mestrado e funcionários das diversas áreas.


Para a execução do vestibular, os trabalhos, iniciaram a vários dias, culminando no treinamento de todos os que estarão diretamente envolvidos no processo. Portanto, no sábado, dia 12 de novembro, em cada local onde as provas foram realizadas, aconteceu uma reunião com os inscritos para ajudar no pleito. Nesta reunião foi repassado a função de cada membro e como ele poderia desempenhar sua função da melhor forma possível. Prioriza-se nesta ocasião, o vestibulando, que é a razão para toda essa movimentação.

No dia do vestibular a movimentação é intensa. O supervisor e os coordenadores têm de estar no local por volta das 08h00min, para se certificarem de dar andamento no processo. A partir das 11h00min, os demais colaboradores chegam para o trabalho. Cada um recebe o seu material de trabalho e se dirige para o seu posto. Ao meio dia, os portões são abertos para acesso dos vestibulandos, que passam por uma revista na entrada e podem se dirigir para suas salas. Revistas no detector de metais, conferências de papeis de inscrição, conferência de documentos, assinaturas, assinaturas, assinaturas... Enfim o candidato pode ocupar o seu lugar. Todos têm que aguardar até as 13h00min, sem direto a banheiro, para então, receber as provas.

A partir das 13h10min os candidatos são autorizados a abrir suas provas e responde-las. E também são liberados para irem ao banheiro, acompanhados por um fiscal de corredor, é claro. Na entrada do banheiro o candidato tem que submeter a uma revista no detector de metais, e na saída do banheiro também. Os banheiros femininos sempre são um caos, devido ao grande numero de mulheres que prestam vestibular. As 16h00min os candidatos recebem o cartão resposta. A partir das 17h30min, e somente a partir de então, os candidatos que tiverem terminado, podem sair da sala deixando também o prédio. Restam agora 40 minutos para o final do processo seletivo. Quando é soada a sirene às 18h10min todos os candidatos que ainda estiverem em sala têm de entregar seu cartão resposta e deixar o prédio.


Neste período, eu observo a manutenção de um sonho. Os candidatos, alguns jovens, outros nem tanto, estão á procura de um caminho, acreditam que a entrada na universidade pode abrir o caminho para uma vida melhor. Exagero de minha parte? Pode ser. Mas no fundo, quem é que não nutre pensamentos românticos de alcançar um futuro melhor do que o passado e o presente? Os pais e outros familiares ajudam a manter essa aura de positividade em torno do vestibular. Eles fazem isso pela presença e pelas palavras de incentivo. Toda equipe da UFG também acredita e ajuda a manter a magia da universidade. Fazem isso pelo trabalho que realizam, e embora haja um pagamento, a maioria de nós o faz por gostar e acreditar no sistema universitário.

Hoje há muita discussão em torno do vestibular. Se ele é eficiente ou não. Projetos tentar eliminar de vez o vestibular. Muitos acreditam que outras formas de se ingressar na faculdade seriam mais justas. Será mesmo? O Enem é uma tentativa de fazer o ingresso na universidade de forma mais equitativa. Qual tem sido o resultado? Um fiasco atrás do outro, é o que temos visto. Acabar com o vestibular, na minha visão, não é a solução. Se houver uma preocupação com a educação de qualidade e desde a infância, o jovem poderá chegar no vestibular com todas as condições de entrar na universidade e prosseguir na busca de seus sonhos de um futuro melhor.

Eu Participei! Eu escrevi!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Propostas de Exercícios do livro "O Cortiço".

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Filosofia da Educação. São Paulo: Moderna, 1996. pp. 14-76. (Fichamento e Resenha)

LUCKESI, Cipriano Carlos. Filosofia da Educação. São Paulo: Cortez, 1990. (Fichamento e Resenha)