As estações do ano e suas distinções


Além do verão sempre se pode ver estações distintas do outono. Os antigos, na época de meus avôs, tinham o costume de separar o verão e a “estiagem” como duas estações distintas: o verão começava no final da primavera e a Estiagem ocupava os meses do próprio verão. O resultado? Cinco estações... Como disse Miguel de Cervantes em “Dom Quixote”: “À primavera segue o verão, ao verão segue a “estiagem”, à “estiagem” o outono, ao outono o inverno, e ao inverno a primavera, e assim segue andando o tempo”.

Algumas pessoas apagavam a primavera e colocavam o verão em seu lugar, assim a “estiagem” era a segunda estação, com quatro estações distintas: Verão, outono, inverno e “estiagem”, estes divididos de três em três meses: o verão de 21 de dezembro a 21 de março; o outono de 21 de março a 21 de junho; o inverno de 21 de junho a 23 de setembro e a “estiagem” de 23 de setembro a 21 de dezembro.



Eu não proponho que aumentemos o numero de estações e nem tampouco quero que se altere o nome das estações do ano. No Brasil tropical, o verão começa em 21 de dezembro, portanto faltam cerca de quarenta dias até o verão. Não pretendo ficar discutindo sobre o solstício ou sobre o equinócio... Mas digo que os tempos estão diferentes, e que ainda que o amigo verão não esteja aqui, eu me sinto no verão. Embora em Jataí - GO, faça sempre alguns dias de frio, já está muito quente.
Em breve vamos entrar na primavera, e com certeza o calor a de aumentar ainda mais. As chuvas seguem ausentes até no final de novembro, desabando de vez em dezembro quando se inicia o verão de fato, mas não sem dar o ar de sua graça calorífica.
Tenho um coração de mudança e a cabeça no século passado, o século de meus avôs, onde mais que nomear as estações, eles a viviam como elas são realmente. A vocês um grande abraço e aguardem o verão, a estação do calor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Propostas de Exercícios do livro "O Cortiço".

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Filosofia da Educação. São Paulo: Moderna, 1996. pp. 14-76. (Fichamento e Resenha)

LUCKESI, Cipriano Carlos. Filosofia da Educação. São Paulo: Cortez, 1990. (Fichamento e Resenha)