quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Tá Sumida, amor!

Você anda tão sumida, amor!
Você precisa aparecer.
Hoje, pra aumentar minha dor
Amanheci pensando em você!
A rua é a mesma
Não mudou o meu teto,
Só o coração anda deserto,
Sente falta de você.

Olha amor,
Você foi embora
E eu fiquei preso naquele dia.
Fiquei sem jeito,
Sozinho no peito,
Preso em você, na sua ida.

Já não choro mais, amor!
Não tenho mais lágrimas.
Já chorei o amazonas.
Mas, pra aumentar minha dor
Amanheci pensando em você!

Sabe amor,
Depois daquele dia
Que você foi embora,
Minha boca se esqueceu
De como é sorrir.
A rua é a mesma
Não mudou o meu teto,
Só o coração anda deserto,
Sente falta de você.

Você precisa aparecer, amor!
Aqui é tá tão gelado sem você.
Preciso de sua presença pra me aquecer.
Sabe amor,
Já sorri chorando lágrimas de tristeza,
Já chorei de rir...
Você precisa aparecer!

Olha amor,
Você foi embora
E eu fiquei preso naquele dia.
Fiquei sem jeito,
Sozinho no peito,
Preso em você, na sua ida.

Por: Silvon Alves Guimarães

2 comentários:

  1. Esse poema que você postou lembra muito um samba que Wando compôs em parceria com Rose Marie. Um samba chamado "Sumida", de 1976:

    Você anda tão sumida, amor
    Você precisa aparecer
    Eu moro na mesma rua, sob o mesmo teto
    Sozinho e tão deserto, querendo só você

    Sabe amor, depois daquele dia que você foi embora
    Meu peito, eu teto, ficou tão deserto
    Meus olhos abertos, olhando a esquina
    Esperando por você, oh meu amor

    Mas você anda tão sumida, amor
    Você precisa aparecer
    Eu moro na mesma rua, sob o mesmo teto
    Sozinho e tão deserto, querendo só você

    ResponderExcluir
  2. Wando, eterno Wando. Cresci ouvindo esse cara. E meu poema é baseado exatamente nessa música "Sumida", da qual eu sou admirador. Fico feliz de saber que outras pessoas também compartilham da minha admiração por Wando.

    ResponderExcluir

Valeu! Sua presença é Bem Vinda!

VIGIAR E PUNIR. MICHEL FOUCAULT. RESENHA

Michel Foucault Vigiar e punir – Nascimento da prisão FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir : nascimento da prisão; tradução Raquel Ramalh...