Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2012

O Preço do “Progresso”: O Dilema da Água

Imagem
...”Apostando no total White, a Cantão começou o desfile, na Fashion Rio, com looks inteiros brancos e mix de texturas. Apresentou também tricôs de linho e de seda rústica, shapes arredondados com pegada ecofriendly, com cores da natureza, como o verde floresta, o off White e o caramelo e por último mostrou sua Vibe grunge, com vestidos chemise, macacões no clássico tartan, aliados às botas e meias de lã”......

Eventos de moda como a citado acima são uma constante nos grandes centros. Não é incomum nestes desfiles de moda o uso de temas, palavras, expressões, chavões, que remetam a natureza e a preocupação com a sustentabilidade, palavra que esta muito na moda em nossos dias. “ecofriendly” dá a ideia de “amigo da natureza”. As cores nos lembram as cores da natureza. Quer dizer, eu uso esta marca sem culpa, eu sou defensor do meio ambiente! Será que é assim mesmo?

A indústria têxtil é uma das maiores consumidoras de água do setor produtivo. Para processar 1 kg de tecido, são necessári…

Prefiro Você

Imagem
Oi! Sabe esses dias em que A gente se sente Sozinho, Esses dias em que o Coração se resume a cacos, Pedacinhos. Alguns não agüentam e Procuram consolo no Vinho. Mas eu prefiro continuar Sangrando e esperando pelo seu Carinho.
Olá! Tem dias que A gente se sente Eufórico, Fica cantando pro mundo, Alegre com tudo, Bucólico. Alguns não se seguram, fazem o que Não deviam e ficam depois Melancólicos. Mas eu prefiro me conter, Prefiro ficar pensando em você, Admirando toda essa arquitetura Do Gótico.
Sozinho... Pedacinhos... Vinho... Carinho... Eufórico... Bucólicos... Melancólicos... Gótico.
Gótico/sozinho... Melancólicos/pedacinhos... Bucólicos/vinho... Eufórico/carinho...
Mas eu prefiro você, Porque você sempre Faz-me sentir sozinho, Desfrutando de todo o seu carinho. Faz-me sentir como se estivesse Tomando um bom vinho. Você tem o poder de Juntar os meus pedacinhos.
Prefiro sempre você Porque quando me sinto Ultrapassado Como se eu fosse construção Do estilo Gótico, Quando me sinto m…

Fui Mordido! Estou com Raiva da UFG/Jataí.

Imagem
Mordida é sempre uma coisa inconveniente. Independente do tamanho, raça, sexo, (espécie!? Hum…se for um ser - humano, a coisa complica), existem sempre algumas medidas chatas que devem ser tomadas. Além disso, dá uma raiva danada, aproveitando o trocadilho, porque se você dá uns chutes no animal que te mordeu, te acusam de ser um monstro que não tem coração, que não defende os animais e blá, blá, blá...


Vejam o que me aconteceu. No último dia 18 de abril de 2012, numa quarta-feira, após a aula, eu estava indo para o estacionamento, era por volta de 22h00min, no campus Jatobá, em Jataí – Goiás. No caminho encontrei uns amigos e estávamos parados, conversando, quando veio um dos vigilantes noturnos, que provavelmente estava fazendo a sua ronda. Três cachorros o acompanhavam. Um deles ao passar por mim, simplesmente se virou e me mordeu na perna. Na hora, pensei que nem tinha perfurado, pois só senti um pequeno ardor. Quando cheguei em casa, verificando o estrago, eu realmente havia si…

Cartas Chilenas - 4ª Carta

Carta 4ª


Critilo maldiz o seu coração de poeta, que não o deixa aproveitar a vida, que exige dele que complete logo a sua história. Para escrever outra carta para Doroteu, Critilo dispensa banquete na casa de Alceu. Na sua 4ª carta, Critilo continua discorrendo sobre a construção onerosa da cadeia pública, em que escravos e presos tem de trabalhar todos os dias sem nenhum descanso semanal.

Responde, louco chefe, se podes
Tais violências fazer. Não era menos
Lançares sobre os povos um tributo?
Os homens que tem carros e os que vivem
De víveres venderem são, acaso,
Aos mais inferiores nos direitos?
Esta cadeia é sua, porque deva
Sobre eles carregar tamanho peso?
(versos 230 a 237)

O grande chefe não cansa de suas peraltices. Manda confiscar o carro usado na construção de um templo religioso, mantido por esmolas dos devotos e dos que pela do Cristo foram atendidos. Como justificativa, Fanfarrão, diz que quando Cristo esteve na terra mandou que Pedro pagasse o imposto por ele, portanto, não devia …

Cartas Chilenas - 3ª Carta

Carta 3ª

As injustiças e violências de Fanfarrão são por motivos de somenos importância. Critilo diz que Minésio tem tudo para ser um bom “chefe”, mas ele não tem nenhum “sistema”. Fanfarrão toma por empreitada a construção de uma suntuosa cadeia. Critilo chega até mesmo a comparar, a obra da cadeia com as grandes obras faraônicas. Tal obra custosa serve para prender os negros que devem e que não devem e na falta de negros outros quaisquer que se enquadrem nos termos de vadios, são logo lançados na prisão. Prepara o branco lenço, pois não podes
Ouvir o resto, sem banhar o rosto
Com grossos rios de salgado pranto.
Nas levas, Doroteu, não vêm somente
Os culpados vadios; vem aquele
Que a dívida pediu o comandante;
Vem aquele, que pôs impuros olhos
Na sua mocetona e vem o pobre,
Que não quis lhe emprestar algum negrinho,
Para lhe ir trabalhar na roça e lavra.
Estes tristes, mal chegam, são julgados
Pelo benigno chefe a cem açoites.
(versos 229 a 240)

As injustiças que Fanfarrão comete, são prontamente c…

Cartas Chilenas - 2ª Carta

Carta 2ª

Fanfarrão finge uma piedade que não possui, mas a esta altura, Critilo, percebe que se trata de uma manobra de Minésio para chamar a si os negócios. Tamanha corrupção e descaramento roubam o sono de Critilo que não consegue descansar, para buscar sua inspiração de poeta. Fanfarrão ostenta uma piedade falsa, para que os seus graves delitos fiquem impunes.

Mal se põe nas igrejas, de joelhos,
Abre os braços em cruz, a terra beija,
Entorta o seu pescoço, fecha os olhos,
Faz que chora, suspira, fere o peito,
E executa muitas outras macaquices Estando em partes onde o mundo as veja. (versos 85 a 90) Quem ousa falar contra Minésio, rapidamente é acusado de um crime qualquer e se vê fechado na cadeia. Também nesta situação, Fanfarrão se faz de vitima, um justo sendo caluniado, mas diante seu acusador, mostra ter compaixão estando disposto a esquecer toda“calúnia” feita contra ele e perdoa o acusado desde que este se comprometa a não mais lhe insultar. Não é por nada que o autor destas cartas …

Cartas Chilenas - 1ª Carta

Carta 1ª

Critilo descreve a entrada de Fanfarrão, Minésio, no Chile, aparentando uma piedade da qual não é possuidor. Ele pede que Doroteu abandone o que estiver fazendo e dê atenção ao que ele irá lhe contar. Diante a conhecer as façanhas do D. Quixote às avessas, qualquer atividade que Doroteu esteja a realizar, são comparadas com sonhos desconectos da realidade, daqueles que se tem durante os sonos profundos.

Ah! tu, Catão severo, tu que estranhas
O rir-se um cônsul moço, que fizeras Se em Chile agora entrasses e visses Ser o rei dos peraltas quem governa? Já lá vai, Doroteu, aquela idade Em que os próprios mancebos, que subiam À honra do governo, aos outros davam Exemplos de modéstia, até nos trajes. (Versos 93 a 100)
Minésio, o governador dos peraltas, está rodeado de lacaios que estão a lhe aplaudir os atos e estes mesmos se empenham em engrossar a corrupção se comportando como verdadeiros senhores soberanos que a nada temem e a ninguém respeitam. Dentre estes se destacam Robério e Matús…

Cartas Chilenas - Introdução

Imagem
As Cartas Chilenas é um texto satírico da literatura brasileira. Trata da corrupção de Luís da Cunha Meneses, governador da capitania de Minas Gerais entre 1783 e 1788. Nestas Cartas, “chilenas” querem dizer “mineiras”. Chile é Minas Gerais; Santiago, Vila Rica. Os personagens também despistam a inspiração: O governador ficou ilustrado por Fanfarrão Minésio; o autor se autodenomina Critilo; o destinatário das cartas chama-se Doroteu.
Escrito sobre anonimato, para se evitar represálias, sendo atribuída de consenso a Gonzaga, por volta de 1845. O autor expõe os costumes da cidade de Vila Rica de modo caricato e impiedoso, não perdoando, sobretudo os atos grosseiros e desmandos da aristocracia. Cada carta segue um enunciado onde se estabelece a temática da carta: a entrada de Fanfarrão no Chile; a fingida piedade deste a fim de conseguir negócios; suas violências e injustiças; o casamento do futuro rei D. João 60 e Carlota Joaquina; as desordens e brejeirices de Fanfarrão.

A influência …

As Navalhas Afiadas que Produzem Subjetividades Carentes

Imagem
As sirenes gritavam pelas ruas, anunciando que alguma tragédia havia acontecido. Dobrando esquinas, cortando ruas, aguçando a curiosidade de pacatos moradores que descansavam tranquilamente em suas casas naquela manhã de quarta-feira, 04 de abril de 2012, a pregoeira da calamidade para em frente a um humilde barraco, em uma esquina simples no setor Hermosa, na cidade de Jataí – GO. O morador, um senhor de sessenta e poucos anos, Ederaldo Damazio de Oliveira, morava sozinho naquele barraco alugado, Havia cerca de quatro a cinco anos. Não tinha ninguém por ele. Não tinha ninguém que sentisse a sua falta. Não tinha amigos. Não tinha parentes na cidade. Não tinha seguro de saúde. Não tinha amparo. Não tinha seguro de vida. E nesse não ter, passou a não ter esperança, passou a não ter vontade, passou a não ter perspectiva. O único familiar que ele dizia ter era uma filha que há anos havia se mudado para os Estados Unidos. Não mantinha contato com ela já fazia anos. Era do interior do estado …

Madrugada

Imagem
Ainda é madrugada e se levanta,
Não consegue mais dormir, aliás,
Não chegou a dormir.
O seu pensamento vai a uma
Só direção, tenta chegar onde
Está o seu coração.

Quem dera se o seu amado estivesse ali!
Toda sua angústia, todo o seu vagar seriam
Então, transformados em uma explosão de
Sentimentos que não seriam contidos pelos
Pudores debilitantes.


Com o coração apertado,
Que não cabe dentro do peito,
Sai caminhando até o riacho.
Pára!
Sente o frio que vem lhe acalentar o corpo,
Pensa em mim!

Não tem medo do lobo ameaçador da solidão,
Mas em meio ao silêncio, só pensa em ouvir
Bem alto a nossa música,
E me ver acenando da janela.

Seus passos a conduzem pelas nuvens
Que circulam por entre seus desejos e
Perguntas ao riacho, que lhe responde em
Um murmúrio indecifrável.

Gostaria que eu estivesse ali e
Pudesse aquecer os seus pés.
Enquanto pensa sente um frio arrepiante
E vai se sentar junto à lareira.

Distante
Trago nas mãos o perfume das flores
E um poema que fala de amor.
Escuto no…