Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2015

II OUVINDO VOZES E PROMOVENDO DIÁLOGO - MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO PARA CIÊNCIAS E MATEMÁTICA DO IFG - CÂMPUS JATAÍ

Imagem

A Educação Cientifica e a Formação para a Cidadania

A Educação a partir do século XX tem como objetivo a formação do cidadão. Espera-se que este cidadão esteja preparado para enfrentar os desafios do mundo moderno. Com os avanços científicos e tecnológicos alcançados, na atualidade, a educação cientifica se converteu numa exigência urgente, num fator do desenvolvimento das pessoas e dos povos. Uma alfabetização cientifica “surge dos anseios da sociedade por uma participação mais eficiente e atuante nos debates de ordem sócio científico e tecnológico do espaço em que convivem e se relacionam” (LUZ: 2013 p. 1).           A educação cientifica tem sido ressaltada e pensada nos encontros de educadores, nos trabalhos de investigação, em publicações e congressos. A investigação em didática das ciências destaca que ocorre reiteradamente um elevado insucesso escolar, caracterizado pela falta de interesse e em alguns casos até mesmo de repulsa, que as matérias científicas têm gerado. Alfabetização cientifica é segundo Bybee, citado por CACHAPUZ …

A Alienação do Homem em Função do Trabalho

O homem: um ser alienado em função do trabalho. Esta frase pode muito bem resumir o que Marx (2004) pensava do homem em sua relação com o trabalho. A crítica de Marx (2004) é dirigida a uma economia e a uma sociedade que transformam o homem numa mercadoria das mais deploráveis e sem valor. Esta sociedade tem dividido os seus membros em senhores e servos, ou melhor, entre possuidores de propriedadese trabalhadores sem propriedades. Sociedade que explora o indivíduo, que enriquece cada vez mais com o trabalho que explora, enquanto o trabalhador se torna mais miserável à medida que produz mais riquezas. Marx (2004) comenta: A propriedade privada tornou-nos tão estúpidos e parciais que um objeto só é nosso quando o temos, quando existe para nós como capital ou quando por nós é diretamente possuído, comido, bebido, transportado no corpo, habitado, etc., ou melhor, quando é utilizado. [...] Portanto, todos os sentidos físicos e intelectuais foram substituídos pela simples alienação de todos

O mundo do trabalho e a coisificação do trabalhador

O mundo do trabalho não é em momento algum harmonioso, mas em algumas situações chega-se a limites inaceitáveis. Como exemplo, podemos citar a exploração da mão de obra em regime de escravidão. Este tipo de exploração é mais comum do que se imagina e por diversas vezes somos informados de trabalhadores que são vítimas de pessoas ou grupos inescrupulosos. Recentemente, no dia 28 de agosto de 2014, a notícia que me chamou atenção foi veiculada pela televisão e na internet. O artigo da internet tinha o título: “Com suor de escravos, produtos da Sadia e Perdigão rendem multa”, a notícia falava sobre a utilização de mão de obra escrava na produção de alimentos na empresa BRF, dona das marcas Sadia, Perdigão e Batavo. O grupo BRF fora condenado a pagar indenização por dano moral coletivo no valor de 1 milhão de reais por manter trabalhadores em condições análogas às de escravos. O fato ocorreu em uma fazenda no município paranaense de Iporã. A decisão foi proferida pelo Tribunal Regional do …

A Educação sem Voz: a ausência do professor no debate público

A docência ocupa um papel fundamental dentro da sociedade, sendo com certeza uma das mais antigas ocupações do homem. O papel do docente tem importância destacada, porque o processo de escolarização esta diretamente ligada a um relacionamento que se cria entre professores e seus alunos. Portanto, todo exercício dos objetivos educacionais passam pela relação professor/aluno, estando dependente de como será o exercício desta função. No mundo inteiro a educação é vista como principal instrumento para se alcançar as melhorias pretendidas em uma sociedade. No entanto, temos visto, no Brasil, um discurso de hipocrisia, que ao passo que fala bem dos educadores, os deixa de fora das discussões sobre como melhorar o ensino no país. Elisângela Fernandes, em reportagem para a revista Nova Escola, abordou essa questão com o tema: “A ausência do professor no debate público sobre a Educação”. Nesta reportagem, é destacado o fato de haver um distanciamento dos professores no debate público, bem como…

Educação de Jovens e Adultos: confrontando com obstáculos

A educação dos adultos que não tiveram oportunidade de completarem os estudos ou mesmo daqueles que não se alfabetizaram ou de jovens que estão fora do período normal de estudo, tem sido o causador de incansáveis debates entre educadores e lideranças ligadas ao ensino. Um projeto criado com a finalidade de atender a essa parcela da população foi a EJA, Ensino de Jovens e Adultos, que pretendia levar aos que não tiveram a oportunidade de estudo, uma chance de atualizarem-se sem gastarem o mesmo tempo do ensino regular. Contudo, tem-se observado uma grande evasão e um abandono administrativo por parte do governo a esse programa. O que tem contribuído para gerar essa problemática? Em entrevista a revista GESTÃO ESCOLAR, o pesquisador sobre educação professor Sérgio Haddad analisa o cenário atual da EJA no Brasil, explica por que houve uma queda acentuada nas matrículas nessa modalidade - que caiu de 4,9 milhões em 2001 para 3,9 milhões em 2012, segundo o Censo Escolar - e comenta os desaf…