O prisioneiro

Situação Complicada...
Eu pendurado pela perna
Acima de um triturador...
Verdes, encaracolados...
 
Trago-te do presente para o passado
Com seus limites e – deslimites...
Vejo-te como um clarão
Que afasta a trave do olho
E penetra os tímpanos
Com a agudeza dos gritos
Sufocados por tempos...
 
Perco-me em seus olhos,
Neles encontro os 3.975 versos
Do Roman de La Rose...
Sou como rouxinol
Que se esforça com silvos e gorjeios,
Mas asseguro-te que posso chorar amargamente.
 
Tens dualismos em tudo...
Um olho azul e o outro verde.
Cabelos cacheados e loiros
Com mechas azuis por causa
Do cloro da piscina de Monster High.
As partes do corpo são presas por suturas.
 
Não posso resistir aos olhos verdes-claros
Com sombracelhas arqueadas e
Cabelos cacheados...
 
Enquanto folheio o mapa carcomido
Olho de relance e te vejo...
Os cabelos encobriam grande parte do seu rosto,
Meio assanhados, carentes de penteio...
Você sorri com a face levemente abaixada,
Seus olhos fortes e diretos
Capturam-me e prendem-me.
 
Durante todos os dias,
Com meu olhar,
Visitei os seus corredores,
Mas não fui onde minha presa estava.
Apenas em sensualidade,
Tivemos violentas explosões de poesia.
Estou preso a presa
Que veio de Mujulaain...
Situação complicada...



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Propostas de Exercícios do livro "O Cortiço".

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Filosofia da Educação. São Paulo: Moderna, 1996. pp. 14-76. (Fichamento e Resenha)

LUCKESI, Cipriano Carlos. Filosofia da Educação. São Paulo: Cortez, 1990. (Fichamento e Resenha)